Presidente de Sindicato lamenta crise no hospital Nossa Senhora da Conceição

Para a Constituição Federal Brasileira a vida é o bem maior dos direitos fundamentais, preconizando que a saúde é um direito de todos e um dever do Estado.

Mas, mesmo com as leis criadas para garantir uma saúde de qualidade no Brasil, é observada atualmente pela sociedade a decadência da saúde pública em todos os estados brasileiros e o sucateamento do SUS.

Segundo um levantamento feito pela ONG Contas Abertas a pedido do Conselho Federal de Medicina, o Brasil tornou-se o país das Américas que menos investe no sistema de saúde.

Os governos federal, estadual e municipal gastam por dia 3,89 reais por habitante para cobrir as despesas públicas com saúde de mais de 204 milhões de brasileiros. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), esse valor está 70% abaixo da média registrada nas Américas.

Em Pará de Minas a saúde pública também vive um grande impasse quanto a questão do suposto fechamento gradativo do Hospital Nossa Senhora da Conceição a partir de hoje, dia 17 de abril. O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria e Construção Imobiliária, Joaquim Luiz de Freitas, lamenta esta triste notícia.

Joaquim-Luiz-de-Freitas-presidente-do-Sindicato-da-Industria-da-Construção-e-do-Mobiliário-de-Pará-de-Minas.-758x569

Apesar do provedor do Hospital, Osvaldo Leite, ter declarado na semana passada que, se não houver ajuda financeira, a entidade irá fechar suas portas, o prefeito Elias Diniz afirmou, em entrevista coletiva, que isso não acontecerá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *